Colunistas

Por:  Eliane Beppler

O que é a doença celíaca?

Doença de nome estranho e diagnóstico complicado, existe desde o século XI, mas apenas em 1950 foi comprovado o que realmente causava o problema, o grande vilão o GLÚTEN.
O glúten é uma proteína que está presente nos seguintes alimentos: trigo, aveia, centeio, cevada e malte ( pão, farinha de rosca, macarrão, bolachas, biscoitos, bolos, bebidas como cerveja entre outros).

Quais os sintomas?

Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa, podendo até não haver manifestação alguma, mas os mais comuns são: diarréia crônica, prisão de ventre, anemia, falta de apetite, vômito, emagrecimento, atraso no crescimento, alteração da 
mucosa; causando prejuízo na absorção dos nutrientes, vitaminas, sais minerais e água.
Geralmente aparece na infância, nas crianças com idade entre 1 e 3 anos quando começam a ingerir alimentos com glúten, mas pode surgir em qualquer idade, inclusive nas fase adulta.


Como a doença celíaca é diagnosticada?


Exames  de sangue, como anticorpos antigliadina, antiendomísio e antitransglutaminase positivos sugerem DC (doença celíaca), embora altamente precisos e confiáveis, são insuficientes para um diagnóstico. O diagnóstico deverá ser confirmado por biópsia do intestino delgado com no mínimo a coleta de três fragmentos, somente dessa maneira se fecha o diagnóstico.

Qual é o tratamento.

O único tratamento é uma alimentação sem glúten por toda a vida, pois a intolerância é permanente.


Minha História


Minha luta com a  Doença Celíaca têm 13 anos, minha primeira filha na época com 1 ano começou a ter sintomas estranhos para sua idade, não crescia e só emagrecia, cabelo estava ralo, a barriga inchada e as nadegas achatadas até que com 1 ano e 6 meses teve a primeira diarréia, e que por mais de um mês não parou, daí sim bateu o pânico porque já tinha passado por diversos médicos, e cada um dizia uma coisa, sem ter idéia do diagnóstico exato, na época ninguém nem sabia o do que se tratava, os médicos eram leigos no assunto.

Até que um pediatra iluminado desconfiou da DC pelos sintomas e nos mandou para um gastropediátrico que na época fechou o diagnóstico com a biopsia. 

Claro que quando alguém te fala para tirar o trigo (pão, bolachas, bolos, macarrão….etc) você pensa “ele é louco e meu mundo acabou,” porquê você pensa que não pode viver sem o trigo.

Bom não foi nada fácil porquê quase ninguém tinha acesso a internet, então não tinha como pesquisar nem sobre a doença e nem como fazer alimentos; então reaprendi a cozinhar, virei a verdadeira alquimista na minha cozinha, com muitos erros e alguns acertos; hoje já faço alimentos bem saborosos que todos da familia compatilham e os amigos adoram.

Sempre lutei pelos direitos dela, até hoje temos que nos impor em restaurantes, hotéis, buffets e na sociedade em geral, porquê as pessoas muitas vezes fazem pouco caso quando você não pode comer algo, acham que é frescura. Já briguei em fast food que não quis dar copo descartável para ela tomar sorvete porquê a casquinha tem trigo e portanto ela não pode.

Portanto meu dilema é e sempre será RESTRIÇÂO ALIMENTAR SIM, SOCIAL NÃO!!!!


Lei que nos protege foi a primeira no mundo.
.
Vídeo da Rede Record, com participação da Eliane Beppler:

Eliane Beppler
eebeppler@hotmail.com

About the Author,

Culinarista, boleira, doceira, e professora/instrutora de cursos culinários.